Veja como organizar o trabalho em home office

Controlar a ansiedade e distrações ajudam no desenvolvimento das tarefas, bem como a organização de uma rotina diária

O Brasil não cultiva o hábito do trabalho home office, mas a obrigatoriedade do isolamento social deslocou boa parte dos trabalhadores para dentro de casa. Para o psicólogo especialista em treinamento e desenvolvimento, Fredy Figner o ponto essencial dessa modalidade de trabalho e funcionar bem é a rotina.

“Algumas empresas não têm a cultura do home office, e existia a crença de que não existia a produtividade. Mas eu tenho escutado de vários times que eles estão tendo mais produtividade, porque o funcionário não está sofrendo o desgaste do transporte”, aponta o especialista.

Ele explica que ter uma rotina que auxilie quem está no home office é estabelecer horários para tomar café, para trabalhar e respeitar o horário do término do expediente. “Somado a isso, os pequenos prazeres diários também ajudam”, reforça.

De acordo com o psicólogo, um dos pontos mais importantes na hora de fazer o home office é preparar uma estação de trabalho. “A preparação do ambiente, mantendo o bom senso e os recursos disponíveis, fazendo uma adaptação com local iluminado, arejado, uma cadeira confortável, e objetos que gerem a sensação de bem-estar”, aconselha.

Figner explica que a organização “interna” e “externa” ajudam a trabalhar melhor. Outra dica é procurar fazer uma preparação mental e psicológica: “se sobrou tempo no seu turno de trabalho, aproveite para o seu desenvolvimento profissional. Aproveite para ler sobre a sua área e se aprimorar”, diz Figner.

Home office em família
Um dos problemas do trabalho ter mudado para dentro de casa, é que isto se deu com a família completa. A quarentena também colocou pra dentro de casa os filhos, maridos e esposas, o tempo todo. “E neste caso, é necessário criar uma rotina para as crianças também”, explica o especialista.

E a melhor forma para solucionar isso, é uma reunião para estabelecer as rotinas e critérios. Uma das dicas do psicólogo para evitar distrações é aplicar uma técnica chamada “pomodoro”, “na qual você trabalha focado dentro do tempo estabelecido, e o relógio te avisa quando fazer uma pausa”, conta Figner.

Ele lembra que existem outros canais que “drenam” as energias e podem afetar na produtividade. “Ficar muito tempo nas redes sociais lendo muitas notícias e ainda negativas – hiperinformação – faz com que nossa mente entre em looping, e faz com que gastemos energia vital que deveria ser aplicada em outras tarefas”, explica.

Neste período, é necessário se alimentar de coisas positivas. “Escolha apenas duas boas fontes oficiais de informação para acompanhar o tema do coronavírus”, recomenda Fredy Figner. Ele recomenda também relaxamento, meditação

Ele faz ainda uma alerta sobre as reuniões de vídeoconferências: “elas precisam ter pauta para não ficarem tediosas”. Além disso a roupa, ao menos a que aparece no vídeo, deve ser adequada. Também afirma que deve se prestar atenção no entorno, para que outras pessoas não apareçam no vídeo, nem em situações constrangedoras.

“Não exponha sua intimidade”, reforça o especialista. E por fim, faça uma lista das obrigações, ela é simples e funciona para a organização do trabalho. “Temos que ter a autorresponsabilidade das nossas escolhas para não drenar a energia. Ao fim do dia, reconheça aquilo que você fez”, ressalta.

Controle a ansiedade
O Brasil é um dos países mais ansiosos do mundo, segundo a OMS. Estes altos índices atrapalham o foco na hora do trabalho, aponta Figner. O especialista explica que uma das melhores formas de de combater a ansiedade é a rotina.

“Quando seu pensamento estiver te engolindo, é hora de se perguntar se seu pensamento realmente tem lógica, se ele faz sentido. Todo dia você precisa investir um pouco em inteligência emocional”, lembra o psicólogo.

Ele alerta também para o perigo do uso frequente de bebidas alcoólicas e a compulsão pela comida, eles precisam ser substituídos por hábitos saudáveis. “É bom incluir um pouco de atividade física diária na rotina porque ela ajuda a relaxar, além da meditação que também contribui bastante”, destaca.

Para aquelas pessoas que sentem falta do convívio social, ele recomenda manter contato com as pessoas especiais como familiares e amigos. Outra recomendação é se afastar daquilo que não faz bem, “se existe um grupo de discussão que está desagradável, deixe um tempo de lado”.

Por fim, ele lembra que as melhores ideias surgem em momentos difíceis. “Não foque na pandemia, mas nas soluções necessárias para o momento. O feito é melhor que perfeito”, finaliza.

Siga-nos e curta: