Crianças e o uso de telas: novas recomendações

Quantas vezes já nos deparamos com uma criança pequena, em um restaurante, por exemplo, hipnotizada e quieta, prestando a maior atenção em um desenho que passa em um celular ou laptop estrategicamente pendurado no seu carrinho? Os pais e amigos conversam livremente e o pequeno fica quietinho.

Pois é. Só que a Organização Mundial de Saúde (OMS) acaba de divulgar uma orientação restringindo o uso recreativo de telas para crianças menores de 1 ano de idade.

A recomendação é que crianças com menos de 1 ano de idade não sejam expostas e nenhuma tela. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que os menores de 2 anos não utilizem telas como recreação. Os que estão entre 2 e 5 anos podem usar telas por no máximo 1 hora por dia. Os maiores de 5 anos, no máximo 2 horas por dia.

Importante salientar, no entanto, que este período de uso das telas não deve ser direto. É essencial que a cada 20 minutos os pequenos façam uma pausa, andem, mexam-se um pouco e olhem à distância para que os olhos possam também “alongar” a visão.

Não custa lembrar que a miopia infantil está aumentando progressivamente no mundo inteiro, principalmente em decorrência do maior uso de telas.

A obesidade infantil também é motivo de preocupação, como todos sabemos, e as telas, sem nenhuma sombra de dúvida, são promotoras de inatividade física.

No entanto, uma das principais razões pelas quais restringe-se o uso de telas para crianças com menos de 2 anos é muito importante. Vamos entender. Nascemos com todos os nossos trilhões de neurônios formados. Estes neurônios, porém, não estão “conectados”. Até os 2 anos de idade a capacidade de conexão neuronal é absurdamente intensa. Cada conexão se chama sinapse. Cada bebê é capaz de fazer 700 sinapses por segundo. Isso se chama neuroplasticidade. Estas sinapses é que nos permitem desenvolver nossas capacidades cognitivas e habilidades físicas, essenciais para o processo do desenvolvimento.

Até que mais estudos – que podem, inclusive, ter outra visão sobre o assunto – definam com mais segurança o tempo recomendado de telas e em qual faixa de idade podem ser usadas, o melhor a fazer é seguir as orientações atuais e estimular e distrair os pequenos bebês com nosso afeto e carinho presencial.

Fonte: Bem Estar

Siga-nos e curta: